Qual é a diferença entre ressonâncias magnéticas funcionais e exames de ressonância magnética?

As imagens desempenham um papel fundamental na agilização dos procedimentos médicos. Ele engloba várias modalidades e procedimentos de imagem para produzir imagens de alta qualidade do corpo humano. O objetivo principal da radiologia ou imagem médica é detectar, diagnosticar e testar anormalidades e condições de saúde, respectivamente.

Por muitos anos, a imagem médica é usada para melhorar a saúde pública em diferentes grupos populacionais. Pesquisas mostram que técnicas de imagens médicas, como ressonância magnética e ressonância magnética, são úteis no acompanhamento de doenças já diagnosticadas e tratadas.

É fundamental saber que as técnicas de imagiologia para fins médicos envolvem uma equipa de profissionais de saúde qualificados. A equipe geralmente inclui médicos, radiologistas, tecnólogos, radiologistas, ultrassonografistas e enfermeiras. Na maioria das vezes, a equipe também inclui físicos médicos, engenheiros biomédicos e equipe de apoio.

Todos esses profissionais de saúde trabalham em colaboração para otimizar o bem-estar geral dos pacientes. Portanto, não estaremos errados ao dizer que a imagem médica é uma abordagem multidisciplinar.

No artigo de hoje, falaremos sobre MRI, fMRI e as diferenças entre essas duas técnicas de imagens médicas. É importante ler esta postagem completamente para que você entenda as informações vitais e obtenha o máximo delas. Leia!

O que é ressonância magnética?

A ressonância magnética ou MRI é um método de imagem sofisticado para ver as estruturas internas do corpo. O objetivo principal do uso da técnica de ressonância magnética é obter uma imagem clara da anatomia.

Da mesma forma, os profissionais de saúde os utilizam para detectar doenças e condições anormais. A ressonância magnética não usa o tipo de radiação ou ondas usadas para varreduras de tomografia computadorizada (TC) e exames de raio-x.

Em geral, os exames de ressonância magnética requerem a utilização de equipamentos especializados que utilizam um campo magnético com energia de radiofrequência e um computador para produzir imagens nítidas do interior do corpo.

Como é executado?

Durante um exame ou teste de diagnóstico de ressonância magnética, o paciente deve permanecer imóvel para que a máquina possa produzir as imagens mais nítidas. Na maioria das vezes, as crianças têm dificuldade em ficar paradas na máquina.

É por isso que o médico pode dar-lhes sedação, que pode ser administrada por via oral ou intravenosa. A pesquisa mostra que a sedação também é útil para adultos e pessoas com claustrofobia.

Uma equipe de profissionais de saúde ajudará o paciente a se deitar na mesa, que desliza para dentro da máquina. Ele desliza por um grande ímã em forma de tubo. Às vezes, o médico coloca uma bobina de plástico em volta da cabeça do paciente.

Depois que a mesa entrar na máquina de ressonância magnética, um médico ou técnico tirará algumas fotos do seu cérebro, fígado, coração ou qualquer outro órgão. Lembre-se, o procedimento levará algum tempo e, caso não se sinta bem dentro da máquina, pode usar o microfone instalado na máquina para se comunicar com a equipe.

Normalmente, o procedimento de diagnóstico leva de 30 a 60 minutos. Um paciente pode receber um agente de contraste, como o gadolínio por via intravenosa, para permitir que a máquina veja algumas partes do corpo com clareza e facilidade, especialmente os vasos sanguíneos.

Lembre-se de que a máquina de ressonância magnética emite ruídos altos durante o procedimento de diagnóstico. É por isso que a equipe irá instruí-lo a usar protetores de ouvido para que possa bloquear os ruídos altos da máquina. Além disso, você pode ouvir música durante o procedimento.

Os estudos de pesquisa destacaram que não há riscos com a ressonância magnética. No entanto, alguns pacientes podem ter reações alérgicas devido à injeção de um agente de contraste. O paciente deve informar à equipe se ele ou ela diminuiu a função renal. Não é seguro usar um agente de contraste para quem sofre de doenças renais.

Se um paciente sofre de insuficiência renal e é submetido a um teste de ressonância magnética, o médico não deve administrar-lhe o agente de contraste. Mesmo que o paciente receba o agente por via intravenosa, ele deve ser submetido a diálise o mais rápido possível para eliminar o agente de contraste.

O que é fMRI?

A ressonância magnética funcional ou fMRI segue o mesmo princípio da ressonância magnética normal. No entanto, durante um procedimento funcional de ressonância magnética, o scanner e o computador tiram fotos do cérebro ao longo do tempo. Por exemplo, o fMRI pode produzir imagens diferentes do cérebro devido a diferentes atividades nele.

Quando uma determinada parte do cérebro está ativa, as células ou tecidos dessa área precisam de mais oxigênio para realizar funções ideais. Isso significa que o cérebro requer um maior fluxo sanguíneo para essa região específica.

A fMRI mede as diferenças no volume do sangue no cérebro quando uma pessoa realiza uma tarefa em um momento e está descansando em outro. O computador produz um mapa colorido das áreas mais ativas do cérebro durante a tarefa.

Como é executado?

O procedimento de fMRI é semelhante ao da ressonância magnética normal. Requer que o paciente se deite com a face para cima em uma mesa ou superfície plana, que é enrolada em uma máquina tubular. Lembre-se de que o procedimento é simples, indolor e seguro. Como uma ressonância magnética normal, algumas pessoas podem se sentir incomodadas por ruídos ou claustrofóbicas durante as varreduras.

Uma vez que o paciente está dentro da máquina, o médico lhe dá instruções que são vistas pelo paciente através de um par de óculos de alta qualidade. Esses óculos são um pouco semelhantes aos fones de ouvido de realidade virtual. Para os pacientes, a tarefa é bastante simples e fácil. Por exemplo, o médico instruirá o paciente a apertar a mão esquerda ou pensar em certas palavras.

As regiões ativas do cérebro de um paciente, que se acendem na máquina, são combinadas com fotos regulares de ressonância magnética da anatomia do cérebro. Depois que um tecnólogo mapeia essas funções básicas, ele ou pode ajudar um cirurgião a determinar uma abordagem segura para a remoção de um tumor ou lesão do cérebro.

Alguns estudos de pesquisa destacaram que a principal diferença entre os dois processos é que, durante uma ressonância magnética funcional, a equipe médica dá ao paciente algumas instruções e pede que ele faça exercícios cerebrais.

São exercícios silenciosos que aumentam a atividade em certas partes do cérebro e aumentam o fluxo sanguíneo para elas. Um aumento do fluxo sanguíneo significa que as áreas do cérebro estão recebendo mais oxigênio.

Tal atividade no cérebro ilumina as fotos criadas pela máquina, dando aos profissionais de saúde um registro visível de um mapa que mostra o cérebro do paciente. Quando se trata de uma ressonância magnética normal do cérebro, ela dura entre 20-30 minutos. No entanto, uma ressonância magnética funcional pode levar até uma hora.

Diferenças entre MRI e fMRI

Vivemos em um mundo acelerado, cercado por ferramentas de alta qualidade e tecnologia de ponta. Atualmente, muitos tipos de inovações são feitas e modificadas para tornar o processo de diagnóstico fácil e simples. O objetivo é simplificar os procedimentos de diagnóstico e determinar anomalias com muito mais facilidade.

Geralmente, as ferramentas de diagnóstico usam máquinas ou estudos biológicos. Em alguns casos, as ferramentas de imagem usam máquinas e estudos biológicos. A imagem é uma das formas mais comuns de estudar os órgãos internos e doenças que não podem ser vistas a olho nu. No laboratório, os técnicos usam diferentes tipos de fontes para possibilitar a geração de imagens, como campos magnéticos, eletricidade e radiante, para citar alguns.

Um tipo de ferramenta de imagem que usa fontes de energia elétrica e magnética é a imagem por ressonância magnética ou MRI. Com algumas modificações na tecnologia, os cientistas desenvolveram uma máquina de ressonância magnética, que é conhecida como ressonância magnética funcional. Vamos falar sobre as diferenças entre essas duas tecnologias, varreduras ou máquinas.

Uso

A ressonância magnética é uma máquina poderosa e de alta qualidade usada para imagens da estrutura do cérebro. Uma varredura de ressonância magnética ajuda a descobrir algumas anomalias estruturais despercebidas causadas por um evento traumático ou um processo de doença.

Em comparação com as tomografias que não podem detectar o problema existente, os médicos usam ressonâncias magnéticas para diagnosticar com precisão o problema e fazer um plano de tratamento. A ressonância magnética também é usada para fins de pesquisa para determinar a diferença anatômica e as correlações comportamentais.

Por outro lado, uma ressonância magnética funcional é uma tecnologia que produz imagens de alta qualidade por meio de medições do nível de oxigênio no sangue ou do fluxo sanguíneo. A FMRI é usada principalmente para coletar dados relevantes com base no consumo de oxigênio pelos tecidos cerebrais.

A varredura de FMRI é um procedimento moderno que visualiza uma imagem da área ativa do cérebro captando o aumento do suprimento de sangue. É conhecido como “Dependência do Nível de Oxigênio no Sangue”. Portanto, é importante entender que uma ressonância magnética produz imagens da estrutura anatômica do cérebro, enquanto uma ressonância magnética funcional visualiza a função metabólica.

Quando se trata de avanços tecnológicos, uma ressonância magnética funcional está começando a se desenvolver e gradualmente se tornando popular entre os profissionais de saúde. Por outro lado, a ressonância magnética já se consolidou por ser um dos procedimentos mais utilizados na área médica. Além disso, uma ressonância magnética funcional é mais frequentemente usada para fins experimentais, ao contrário da ressonância magnética sofisticada.

Medição de Sinal

A medição dos sinais é diferente para MRI e fMRI. Por exemplo, uma ressonância magnética analisa os núcleos de hidrogênio da molécula de água, enquanto uma ressonância magnética funcional mede os níveis de oxigênio.

Estudos de pesquisa mostram que, na física atômica, a imagem estrutural da ressonância magnética analisa as diferenças entre os tipos de tecidos no que diz respeito ao espaço. Em contraste, a ressonância magnética funcional mostra as diferenças entre os tecidos com relação ao tempo.

Além disso, você deve entender que a ressonância magnética é uma alta resolução espacial, enquanto a ressonância magnética funcional é uma resolução de longa distância e temporal.

Custos

Quando se trata do custo da máquina, a ressonância magnética é muito mais acessível do que as máquinas de ressonância magnética. A razão pela qual o fMRI é mais caro do que a máquina de ressonância magnética é que ele vem com componentes adicionais de hardware e software.

O preço às vezes pode chegar a milhares de dólares, e isso é muito dinheiro. É por isso que hospitais e clínicas preferem aparelhos de ressonância magnética, porque é uma opção mais acessível. Lembre-se de que nem uma ressonância magnética nem uma ressonância magnética funcional apresentam vantagens sobre a outra, porque os dois procedimentos são usados para finalidades diferentes.

Vamos resumir as principais diferenças entre as tecnologias na tabela a seguir. Continue lendo!

Diferenças entre MRI e fMRI
Ressonância magnéticafMRI
Visualiza a estrutura anatômica do cérebro ou de qualquer outro órgão do corpo humano.Produz imagens das funções metabólicas do cérebro, principalmente das áreas ativas.
Estuda os núcleos de hidrogênio da molécula de água.Mede os níveis de oxigênio.
Identifica diferenças entre os tecidos no que diz respeito ao espaço.Determina diferenças entre os tecidos em relação ao tempo.
Possui resolução espacial.Possui resolução superior, de longa distância e temporal.
Um procedimento amplamente utilizado no mundo médico para produzir imagens de alta resolução de estruturas internas do corpo.Apesar dos avanços tecnológicos, fMRI é usado principalmente para fins experimentais.
Uma máquina acessível e confiável para instituições de saúde.As máquinas FMRI vêm com equipamentos de hardware e programas de software adicionais que custam mais para hospitais e clínicas.

Os exames de ressonância magnética são seguros?

A pesquisa mostra que milhões de pacientes em todo o mundo foram submetidos a procedimentos de diagnóstico de ressonância magnética. É uma das tecnologias ou procedimentos de imagem mais seguros para instituições de saúde. Estudos destacam que a ressonância magnética é segura para bebês, crianças e adultos.

No entanto, é essencial seguir as orientações ao realizar o procedimento. São necessárias precauções e os profissionais de saúde são obrigados a garantir que são tomadas.

Geralmente, um procedimento de diagnóstico de ressonância magnética não produz dor e causa danos aos tecidos de qualquer tipo. É um procedimento seguro para exames diagnósticos de curto e longo prazo. É essencial tomar precauções para garantir que nenhum metal entre na máquina.

O poderoso ímã da máquina pode atrair alguns objetos de metal. Normalmente, eles são conhecidos como objetos “ferromagnéticos” que os fazem se mover rapidamente em direção ao ímã. Isso pode ser perigoso para o paciente dentro do ímã.

Portanto, é fundamental passar pelo detector de metais para evitar levar metais de qualquer tipo para a sala de exame. Ao mesmo tempo, o médico deve realizar o processo de triagem com cuidado e evitar que objetos metálicos entrem na área magnética.

O tubo ou orifício de ressonância magnética geralmente é pequeno para o paciente, o que significa que pode ser problemático para indivíduos claustrofóbicos. A regra geral é que pacientes claustrofóbicos não devem ser submetidos à ressonância magnética. Além disso, o ruído acústico dentro da máquina é alto e pode chegar a 113 dB em alguns ambientes de digitalização. A amplitude normal é de cerca de 90 dB dentro do scanner de ressonância magnética.

Embora 90 dB esteja abaixo das diretrizes do FDA que permitem níveis de ruído acústico de 140 dB, os especialistas recomendam que os médicos forneçam equipamentos de proteção auditiva ao paciente. No caso de crianças pequenas, os profissionais de saúde devem usar um sistema de fone de ouvido de alta qualidade que possa reduzir o ruído da ressonância magnética em pelo menos 30 dB. Um fone de ouvido de qualidade pode reduzir o ruído para níveis normais - ou seja, o nível de conversa de um adulto.

As varreduras de fMRI são seguras?

A maioria dos exames de ressonância magnética funcionais são realizados após um diagnóstico. As imagens resultantes ajudam os profissionais de saúde e pacientes a decidir sobre a cirurgia. Geralmente, os médicos realizam as varreduras 24-48 horas antes de uma cirurgia programada.

Ele permite que os cirurgiões obtenham as imagens mais precisas e completas do cérebro de um paciente antes do procedimento cirúrgico. Uma ressonância magnética funcional ajuda os neurocirurgiões a se preparar para a cirurgia e permite que eles naveguem até a área correta com sucesso.

Como a ressonância magnética, uma ressonância magnética funcional é um procedimento não invasivo, indolor e seguro. Os estudos de pesquisa não destacaram nenhum risco significativo para a saúde associado ao procedimento. Porém, o paciente não deve possuir implantes eletrônicos ou metálicos para realizar o procedimento.

A razão é que a fMRI usa um campo magnético poderoso para a produção de imagens e pode causar problemas para pacientes com implantes. Além disso, não havia nenhum método para localizar o centro de habilidades motoras ou de linguagem de uma pessoa antes da invenção do fMRI.

O único método usado anteriormente era a estimulação cerebral durante uma operação ou exames angiográficos invasivos. Ambos os métodos exigem que o paciente fique acordado para responder às perguntas. Com fMRI, médicos e cirurgiões podem obter essas informações facilmente antes da cirurgia, o que pode tornar a operação mais segura, rápida e precisa.

Palavras Finais

Os avanços em imagens médicas realmente revolucionaram o campo da saúde. A imagem médica é crucial em uma ampla gama de ambientes de saúde e diferentes níveis de assistência médica, como saúde pública, medicina preventiva, cuidados paliativos, cuidados curativos e diagnósticos.

Embora o julgamento clínico de um médico seja suficiente para o tratamento de várias condições de saúde, o uso de técnicas de imagens médicas como ressonância magnética e ressonância magnética pode agilizar o diagnóstico e o tratamento, especialmente em procedimentos cirúrgicos.

Com a melhoria da política de saúde e o aumento da disponibilidade de MRI e fMRI, o número de procedimentos de imagem cerebral está aumentando significativamente. Tanto a ressonância magnética quanto a fMRI são procedimentos de alta qualidade, seguros e eficazes que ajudam os profissionais de saúde a produzir imagens cerebrais claras, precisas e de alta resolução.

Embora a fMRI seja mais cara do que a IRM, essa técnica de imagem pode ajudar os médicos a tomar decisões informadas e reduzir o número de procedimentos desnecessários. Por exemplo, os médicos podem evitar certas intervenções cirúrgicas com ferramentas de diagnóstico por imagem como MRI e fMRI.

pt_PTPortuguese